• Thiago Bicalho

A tecnologia vai acabar com o Guia de Turismo (Opinião)



É uma afirmação muito forte dizer que estamos próximos da extinção da profissão de Guia de Turismo, porém é necessário saber qual a relação existente entre esta atividade profissional e a tecnologia.

A profissão de Guia de Turismo foi regulamentada pela Lei n.º 8.623 de 28 de Janeiro de 1993 após um longo processo histórico, mas o que desejo partilhar com você nesta reflexão é a participação em um evento de inovação que aconteceu na cidade de Belo Horizonte.

No referido evento houve apresentações de propostas que aborde a inovação em vários segmentos de mercado. Na mesa com a temática do turismo foi apresentado uma solução que disponibiliza aos turistas informações, fotos e videos da localidade por meio de um aplicativo, uma proposta muito "disruptiva e inovadora" para transformar os destinos tradicionais em destinos turísticos inteligentes.

Após a apresentação veio um momento de grande surpresa, quando um dos participantes da mesa faz o seguinte pronunciamento:

"Não precisamos mais dos "guias turísticos" para se informar nos lugares, hoje você abre o aplicativo e tem tudo no celular"

Claramente foi uma fala muito infeliz por inúmeros motivos. Primeiramente pensei que ele estava se referindo aos guias (livros) das cidades, mas não, ele se referia ao profissional Guia de Turismo como "guia turístico". A segunda questão é limitar a atuação do profissional em apenas informar o turista (falarei mais sobre isso) e, por fim, apostar todas as fichas na utilização da tecnologia.

Não vou me ater a todos os pontos e sim ao fato de COMO O GUIA DE TURISMO SOBREVIVERÁ MEDIANTE A TECNOLOGIA?

Um bom profissional Guia de Turismo está em um constante processo de ensino-aprendizagem o que torna-o um educador. Extrapolando as barreiras do turismo pedagógico, ou estudo do meio para os paulistas, o ensino ocorre em vários campos de atuação profissional. Então fica os seguintes questionamentos: De fato estamos ensinando ou apenas transmitindo informações? O que diferencia o Guia de Turismo do famoso “Tio Google”?

Para responder esta pergunta contei com um bate papo que realizei, ainda em 2018, com alguns queridos colegas de profissão que fazia parte de um programa de Qualificação Profissional de Guias de Turismo. As respostas que obtive sobre a importância dos Guias de Turismo mediante as informações disponibilizadas em um aplicativo foram:

  • Ser provocador: O profissional não faz apenas uma descrição do local, ele provoca os visitantes para assuntos de cunho social agregando conhecimentos de atualidades e de pesquisas recentes.

  • Estimular outros olhares das localidades: o turista pode ler as informações e ver a cidade, mas o Guia de Turismo vai propor um olhar que perpassa tempos históricos diferentes, sujeitos distintos e uma maneira de olhar o destino com outros olhos.

  • Trazer a tona para o turista a mineiridade: Em Minas Gerais o profissional não apresenta apenas o destino, mas demonstra o jeito mineiro de ser, sua cultura, seus costumes, hábitos e até mesmo um dicionário inteiro de como falar "mineirês"

  • Explorar o turismo de experiência: Muitos profissionais tem formação superior em áreas múltiplas. Já que a atuação como Guia de Turismo é regida por um curso técnico há um acumulo de formações superiores em diversas áreas que pode tornar o profissional capacitado a oferecer experiências, como por exemplo: Um Guia de Turismo e Biólogo conduz uma Observação de aves; Um Guia de Turismo e Historiador apresenta detalhes historiográficos em uma cidade colonial; etc.

  • Atendimento especial aos turistas com deficiência: o profissional qualifica-se para atender pessoas com deficiência auditiva, motora e até visual. Com um cuidado especial proporciona uma experiência incrível.

  • Buscar desenvolvimento local-pessoal: o Guia de Turismo está inserido em uma sociedade que tem desejos e busca sempre pelo bem estar. O profissional então apresenta aos seus turistas os anseios e desejos daquela comunidade, exaltando o valor das pessoas e buscando o desenvolvimento local.

  • Sentimento de pertencimento do Guia sobre o local que apresenta: quem fala de onde vem tem propriedade, tem amor e demonstra aos turistas este carinho pela terra de onde habita e as pessoas que ali vivem.

  • Sensibilizar a comunidade: o Guia de Turismo é um multiplicador de cultura, arte, educação ambiental e de valores de cidadania para com os turistas e também as comunidades visitadas.

  • Trabalha a percepção para compreender as pessoas que está guiando: saber com quem está trabalhando é uma das grandes qualidades do Guia de Turismo, assim vários imprevistos e problemas são solucionados como problemas de saúde, necessidades emergenciais e outras.

Após todos estes motivos para optar pela contratação de um Guia de Turismo não posso ser omisso na necessidade urgente dos profissionais interligarem os guiamentos com a tecnologia disponível nos locais. Porque não o Guia de Turismo fazer uma recreação com todos os passageiros online? porque não envolver a interação dos seus turistas com uma obra de arte por meio de um aplicativo?

Essas e várias outras possibilidades de envolver a tecnologia no guiamento proporciona ao turista uma experiência tecnológica ao mesmo tempo que valoriza a atuação e mediação do profissional Guia de Turismo junto a um grupo. Saibam sempre que o bom Guia de Turismo buscar demonstrar na hora do guiamento “paixão” , afinidade e gosto pelos locais turísticos que serão apresentados.

#OMT #Turismo #Mtur #Cadastur #GuiadeTurismo

6 visualizações0 comentário