• Thiago Bicalho

Ser Guia de Turismo em Minas Gerais

No dia 10 de maio de 2019 é comemorado no Brasil o Dia do Guia de Turismo. É uma alegria dizer que eu não escolhi esta profissão, e sim, ela me escolheu.


Grupo de Turistas do projeto Peregrina BH visitando o Santuário da Piedade (Caeté/MG)
Grupo de Turistas do projeto Peregrina BH visitando o Santuário da Piedade (Caeté/MG)

Ser Guia de Turismo é ser parceiro do turista. O dialogo e a união de informações promove a construção do conhecimento que são enriquecidas pelas experiências de vida daqueles que encontramos no caminho.

Ser Guia de Turismo é ser promotor do destino turístico. Apresentamos atrativos naturais e culturais, pousadas, hotéis e excelentes restaurantes para se conhecer a gastronomia local transformando assim a viagem em uma descoberta constante.

Ser Guia de Turismo é ser solidário aos colegas ajudando os demais profissionais a desenvolverem, aprimorarem o conhecimento e assim mostrar como os Guias de Turismo podem superar as barreiras tecnológicas.

Vários outros critérios e sentimentos do "ser Guia de Turismo" são criadas a cada dia na atividade destes profissionais que, dispersos no país e no mundo, são embaixadores de destinos, culturas, etnias e relações sociais.


Comunidade e Representatividade

Aos colegas de profissão gostaria de deixar um relato sobre a necessidade de estarmos em comunidade e de termos representatividade. Durante anos os Guias de Turismo lutaram pelo reconhecimento da profissão enquanto uma ocupação importante para o País, sendo Itamar Franco, o presidente que reconheceu e deu valor a este profissional.

Desde então, os estados brasileiros se organizaram em associações e sindicatos para defender os direitos dos Guias de Turismo, dar visibilidade aos profissionais e promover atividades que geram desenvolvimento humano e social.

Tenho o privilegio de acompanhar desde 2013 o trabalho da AGTURB-MG e do SINGTUR-MG e me orgulho das conquistas alcançadas neste período.

Não é fácil gerir as entidades e nas três gestões que acompanhei tive experiências distintas. Uma coisa precisa ser dita, nas gestões que acompanhei TODAS AS DIRETORAS ERAM/SÃO MULHERES. Pessoas que se doaram para manter as portas abertas em uma tripla jornada de trabalho, acumulando o trabalho produtivo (como guia de turismo) e o trabalho reprodutivo (como esposa, mãe, dona de casa e voluntária).

Muitos dizem que a diretoria das entidades tem informações privilegiadas, monopolizam trabalhos e ganham dinheiro as custas do cargo. Isso pode acontecer em outras profissões, mas nestas entidades eu nunca vi "ninguém ficando rico", pelo contrario, muitas vezes foi realizado gastos por acreditar neste trabalho voluntário.

Após um período muito frutífero de investimentos no turismo, existe um desejo de desmoralizar as instituições de representação dos trabalhadores e os Guias de Turismo não estão de fora disso. Estou hoje na condição de conselheiro fiscal suplente da FENAGTUR e observo a luta constante da diretoria em "fazer acontecer" e manter uma entidade nacional com um recurso ínfimo.

Tenho confiança que as pessoas que encontram-se a frente destas entidades batalham a cada dia para que todos os Guias de Turismo tenham dias melhores.


Com isso exposto, desejo a todos os colegas um excelente DIA DO GUIA DE TURISMO e, em especial, agradeço a todos os presidentes, diretores e conselheiros que dedicam parte do seu tempo para um trabalho voluntário em prol de toda a categoria!

#OMT #Turismo #Mtur #Cadastur #GuiadeTurismo

34 visualizações0 comentário